As aberrações de Tod Browning

freakscapaEm 1932, o diretor de cinema Tod Browning lança o filme Freaks com grande parte do elenco composta por artistas de circo de horrores: mulher barbada, homem torso, pinheads, irmãs siamesas, homem esqueleto, mulher pássaro, entre outros tipos fazem parte do filme que chegou a ser proibido na Inglaterra durante 30 anos.

O enredo central de Freaks gira em torno da ganância da trapezista Cleopatra (uma mulher normal) que conquista e casa com o midget Hans ao saber que o mesmo receberá uma herança. Já na festa de casamento, Cleopatra começa a envenenar Hans ao mesmo tempo que escancara seu caso com o fisiculturista Hercules. No entanto, Cleopatra não contava com a intervenção dos outros freaks, levando-a a um fim tragicômico.

Tod Browning com parte do elenco de Freaks

Tod Browning (centro) com parte do elenco de Freaks

Apesar da classificação como filme de horror, Freaks não chega a causar pavor nos dias de hoje. É um filme até ingênuo para o público contemporâneo, mas certamente foi um marco do gênero tanto pela franqueza e naturalidade usada ao retratar rotinas das aberrações circenses, assim como a presença de verdadeiros integrantes dos Freakshows, que foram muito comuns no fim do séc. XVIII e começo do séc. XIX.

Hans e Cleopatra

Hans e Cleopatra

Grande prova do sucesso – mesmo que tardio – de Freaks é a quantidade de referências em diversos filmes, desenhos e séries nas últimas décadas. David Lynch diz ter sido inspirado pelo filme ao realizar O Homem Elefante. A série Carnivale também é repleta de referências ao longa de Tod Browning. O jantar de casamento de Freaks é a cena mais famosa e constantemente surge repaginada, como no filme Os Sonhadores, quando os irmãos Isabelle e Theo cantam We accept you, one of us! (Nós o aceitamos, um de nós!) para Matthew, em alusão à música de boas vindas dos freaks para Cleopatra.

Freaks é um filme que não assusta, mas incomoda. Surgiu numa época em que marginalizados só tinham espaço como atração de circo e vê-los retratados de forma tão delicada, com suas habilidades e relações sociais e amorosas exaltadas irritou muita gente acostumada às beldades cinematrográficas. Por fim, o filme tornou-se um verdadeiro registro de uma época sádica ao mesmo tempo que deu voz e defesa aos excluídos. Resta no final a pergunta: quem é freak na história?

Atualização: recentemente ficou mais fácil encontrar a edição brasileira do filme em DVD, lançado com o título Monstros, pode ser encontrado neste link.

Anúncios

2 Respostas

  1. […] o bem e o mal e habitado por criaturas claramente inspiradas pelo filme Freaks (já falei dele aqui). O grupo liderado por Samson (Michael J. Anderson, o anão de Twin Peaks e Cidade dos Sonhos) […]

  2. Alexandre Palmeira Barbosa | Responder

    eu sou uma aberração, porque desde adolescente me sinto assim, eu tenho orelhas de abano, mais tenho aparência normal, uso óculos, existem pessoas que me acham bonito, já conheci pessoas bonitas interessadas em mim, mais na verdade eu gosto de ser uma aberração, gosto de viver sozinho, me sentir excluído, não se relacionar com outras pessoas, e vendo por este lado eu sou uma aberração pois não me adapto á vida humana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: