Violoncelos da Transilvania

silvio-rasp02Três estranhas mulheres com trajes vitorianos russos, armadas de violoncelos e acompanhadas de um baterista. Essa é a formação da banda gótica/vampiresca nova iorquina Rasputina (“uma divisão da Ladies Cello Society”, como informa o site oficial) que já conta com aproximadamente 10 anos de estrada, totalizando 4 álbuns e singles, além de um EP de remixes feitos por Marylin Manson.
No seu álbum de estréia, lançado em 1996, Thanks For The Ether, Rasputina mostra que não é simplesmente uma banda de rock com três violoncelos e uma bateria. Já na primeira faixa, My Little Shirtwast Fire, Melora Creager, vocalista e líder da banda, mostra que muita bizarrice surgirá ao longo do álbum ao narrar uma história que faz alusão ao incêndio da fábrica de tecidos Triangle Shirtwaist Factory, que matou 145 funcionárias em 25 de Março de 1911. No refrão, em tom de desespero, acompanhada de cordas cortantes e uma bateria propositalmente fora de ritmo, Melora suplica “Yes, we’re burning can you help us please? / Yes, we’re begging, we’re on bended knees” (Sim, estamos queimando, você pode nos ajudar? Sim, estamos implorando ajoelhadas).silvio-rasp03
Na 4ª faixa, Transylvanian Concubine apresenta violoncelos mais lentos com breves toques agudos, acompanhados de uma bateria preguiçosa. A mesma música, algum tempo depois, ganhou um divertidíssimo remix do Marylin Manson com distorções e ruídos, além da batidas eletrônicas. A versão acabou fazendo parte da trilha sonora do seriado Buffy, a Caça-Vampiros.
Logo na seqüência, Why Don’t You Do Right? é uma ótima versão da música de Peggy Lee, que ficou famosa na trilha do filme Uma Cilada Para Roger Rabbit, com suaves acordes que lembram uma música de cabaré, como se as próprias concubinas da Transilvania estivessem no palco.
O tom de bizarrice e o interesse por tragédias da banda são reforçados na música The Donner Party, onde a vocalista narra a história de um grupo de imigrantes que ficaram presos em uma nevasca em Sierra Nevada e, pela sobrevivência, passaram a comer aqueles que não sobreviveram ao desastre. Já em Crybabies conta-se a história de um bebê que matou outro enquanto brincavam na neve e completa com o refrão sussurando “But they cry and they cry / Who said babies never die?” (Eles choraram e choraram, quem disse que bebês nunca morrem).
silvio-rasp04Além das temáticas bizarras, o vocal também proporciona a esquisitice em algumas músicas como Endomorph (sobre um indivíduo baixinho, gordinho e lento), Sister Sleep, Five Fleas, Kate Moss, pelas mudanças feitas forçadamente pela cantora ou por interposições de vozes e timbres.
A sensação de que Rasputina surgiu de uma história de Halloween ou até mesmo de um hospício pode ser muito freqüente ao se conhecer a banda e até mesmo acompanhando suas novidades. Mas, sem dúvida alguma, o talento mórbido recheado de ironias, cinismos e bom humor é hipnotizante.
(Texto originalmente publicado no Poppycorn em 30 de outubro de 2004)
Anúncios

2 Respostas

  1. hey, ainda faz matéria pro poppycorn???

    lembro q sempre lia suas matérias e as do Diego por la… ^^

  2. Oi, JV!
    Faz um tempo que não publico no PoppyCorn.
    Meu último texto por lá foi em julho, sobre o FIT e ultimamente tenho deixado os textos por aqui mesmo.
    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: