Reciclagem Sonora

Regravar música que foi sucesso de público pode ser um tanto arriscado para um artista. Oportunismo e falta de criatividade são algumas das acusações dos críticos mais severos. Porém, para muitos outros, as regravações são bem vindas desde que inovem na proposta, com novos arranjos, musicalidade própria do intérprete, trazendo diferencial para a nova versão. É nesse terreno perigoso que quatro músicos atreveram-se a pisar, jazzificando antigos sucessos de diversos estilos e décadas, dos mais variados compositores.silviotrash06
O quarteto jazzístico, também conhecido como Trash Pour 4, formado pela vocalista e baixista Natália Mallo, a baterista Mariá Portugal, o tecladista Dudu Tsuda e o guitarrista, bandolinista e violonista Gustavo Ruiz, lançou em novembro de 2005 o álbum Recycle Vol. 1, pela gravadora MCD, com a proposta de resgatar e recauchutar músicas que, hoje conhecidas como bregas e até irritantes, já causaram cansaço no público.
Dessa forma, para abrir o disco, o quarteto escolheu o pop-baba Material Girl, de Madonna, famoso pelos gritinhos estridentes da então aspirante a diva-pop, que, acompanhados por sininhos e teclado oitentista, ganha uma roupagem jazzy, com piano suave e delicado, acompanhado pelo vocal seguro e suave da vocalista Natália Mallo.
Na mesma linhagem de transformação de Material Girl, o álbum Recycle – Vol. 1 mostra os milagres feitos com A Little Respect, da banda Erasure e Take on Me, do grupo A-Ha, onde os irritantes teclados dão lugar a um suave violão dedilhado, piano, violino e bateria jazzy.silviotrash04
Ainda na reciclagem dos anos 80, a banda resgata o hit Billie Jean, de Michael Jackson, a balada Father Figure, de George Michael, a catártica Total Eclipse of The Heart, de Bonnie Taylor e a romântica Baby Can I Hold You Tonight, de Tracy Chapman. Até mesmo a divertida I Touch Myself, do The Divinyls, de 1990, ganhou uma versão tão jovial quanto à original.
Mas para quem pensa que o TP4 pegou carona no revival dos anos 80, engana-se. A balada romântica How Deep Is Your Love dos reis da discoteca, Bee Gees, também ganha sua versão recheada de violino, violão dedilhado e piano, tornando-a uma balada romântica e envolvente.
Já as instrumentais, e constantemente regravadas nos mais variados estilos ao longo de quase 40 anos, Raindroops Keep Falling on My Head e Close To You, ambas de Burt Bacharach, apresentam animadas e radiantes versões, assim como o folk-rock do final dos anos 60, Happy Together, do extinto grupo californiano The Turtles.
Fugindo das regravações de músicas em língua inglesa, o TP4 também recauchutou o bolero Quizás, Quizás, Quizás, composto por Joe Davis e Oswaldo Farrés, em uma empolgante canção com batidas marcantes pela bateria, pianos e cordas em harmonia e a italiana Nel Blu Dipinto Di Blu (Volare), de Domenico Modugno, transforma-se em envolvente e leve canção com mistura de bandolim e violoncelo.silviotrash05
Por fim, não fica difícil concluir que a proposta de recauchutagem do Trash Pour 4 é fielmente atendida por seus integrantes, assim como a diversão é garantida para quem ouve. A suavidade certeira de tons e timbres com a interpretação cativante honram a qualidade das versões, confirmando que as regravações são sim uma boa pedida quando feita com respeito e dedicação.
(Texto originalmente publicado no Poppycorn em 06 de fevereiro de 2006)
Anúncios

Uma resposta

  1. Amo Trash Pour 4!!!

    Isso me faz lembrar de FIT…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: