A Viagem Wandulesca

s-wandula01Definições e rotulações no mundo da música já se tornaram corriqueiras e, muitas vezes, no desespero de não se chegar a um consenso, dão-se novos nomes a estilos que fogem às definições atuais e mesclam sonoridades diversas.
É difícil saciar essa necessidade ao se depara com o som da banda curitibana Wandula, que apesar de não ser possível encaixá-la em qualquer gênero musical, apresenta uma sensível e sofisticada sonoridade disposta a encantar até mesmo os ouvidos mais exigentes ou desinteressados. Dessa forma, acato a autodefinição do grupo em “wandulesca” para a mistura de elementos de música pop, violões, acordes enriquecidos por dissonâncias, ruídos e elementos minimalistas.
s-wandula03Convidado pelo projeto curitibano A Grande Garagem que Grava, suportado pela Lei de Incentivo à Cultura e realizado no estúdio Homem de Ferro, Wandula gravou seu segundo disco, o Ao Vivo na Grande Garagem que Grava que em apenas cinco faixas conduz o público a uma viagem sonora sentimental por quase 30 minutos.
Logo na faixa inicial, Sad Days / Mprapna Pira, uma aconchegante batida trip-hop recepciona os ouvidos mais carentes, enquanto o vocal de Edith de Camargo canta ternamente os dias tristes, para logo após no meio de um semi-silêncio, murmúrios darem passagem a batidas mais ritmadas e vocal delirante.
Já com ares de indie rock, na seqüência surge a divertida Ladydub , faixa instrumental onde guitarra e bateria destacam-se num frenesi perfeito para uma trilha cinematográfica. Em Dead Man Wake, terceira faixa do disco, apresenta uma deslumbrante atmosfera de Mundo de Marlboro, com uma fantástica evolução hipnótica regida pelas cordas do grupo.
s-wandula05Em Sans Toi, balada graciosamente melancólica, Edith de Camargo canta a ausência da pessoa amada, revelando a influência da cantora francesa Edith Piaf em sua carreira. Enquanto em Steel Night With Kidman, finalizando o disco, a banda apresenta uma bela valsa em homenagem à Nicole das telonas.
É notável que neste segundo disco Wandula apresenta-se mais desprendido de suas influências (Yann Tiersen, Mogwai, chanson française, entre outros), reforçando a originalidade e criatividade de suas músicas para concluir que nada tão belo e intrigante quanto seu trabalho fora antes produzido por músicos brasileiros.
* Fotos: Divulgação
Site oficial: www.wandula.com
Wandula no Myspace
(Texto originalmente publicado no Poppycorn em 05 de agosto de 2006)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: