Tirando o Atraso 2008 – Livros

livrosEu sei. Uma lista de 2008 publicada em março de 2009 é o cúmulo do atraso, mas como procrastinação é meu forte, vai assim mesmo para não ficar só na promessa.

Como já disse antes a lista não é de novidades – uma espécie de “melhores de 2008” – e sim uma reunião daquilo que preencheu muito bem minhas horas vagas.

Antes da lista, mais uma consideração: ao contrário da lista de séries, não haverá ranking entre os livros abaixo, sendo os mesmos organizados por ordem de sobrenome do autor.

Meu top 10 de livros lidos em 2008:

Sobre Ética e Imprensa – Eugênio Bucci

Ao fim da leitura de Sobre a Ética e Imprensa fiquei com a triste sensação de que a grande imprensa brasileira o considera uma espécie de Manual de anti-jornalismo, em virtude do comportamento contrário aos ensinamentos de Bucci ser tão frequente nas redações. Recomendado para quem ainda acredita ser possível fazer a diferença.

A Sangue Frio – Truman Capote

Destaque no surgimento do jornalismo literário, A Sangue Frio narra o assalto frustrado que resulta no assassinato da família Clutter até a condenação e execução dos assassinos. Fruto de 6 anos de pesquisas e entrevistas feitas por Capote, o livro é uma obra-prima rica em detalhes e capaz de prender a atenção do leitor até a última página.

Casa Grande & Senzala – Gilberto Freire

Estudo minucioso sobre as raízes da sociedade brasileira, influencias culturais e ambientais, assim como as contribuições de cada etnia presente no passado brasileiro. Publicado em 1933, Casa Grande & Senzala provocou reações diversas ao mostrar a miscigenação como uma riqueza da nação.

Comunicação em Prosa Moderna – Othon M. Garcia

Não perca tempo com “manuais de redação” dos jornais X ou Y que só servem para homogeneizar textos e estabelecer regras empresariais. Othon M. Garcia mostra o caminho para escrever bem sem a desnecessária pasteurização institucional que tantos manuais oferecem.

1984 – George Orwell

Eu já tinha lido 1984 em plena adolescência e o maravilhamento foi imediato. 9 anos depois, resolvi reler o clássico de Orwell – mas dessa vez em inglês – e é incrível como o mesmo texto proporciona novas experiências após um longo intervalo. A sociedade totalitária imaginada por Orwell, com suas terminologias e hipocrisias explicam muito a nossa sociedade. Dizer de onde surgiu o termo Big Brother é o de menos.

Clube da Luta – Chuck Palahniuk

Sempre nutri uma certa obsessão pelo filme Clube da Luta, mas o livro, esgotado no Brasil, tornou-se algo impossível de encontrar. Mas sempre tem pessoas incríveis e especiais dispostas a garimpar editoras e distribuidoras até encontrar aquele presente perfeito. E foi assim que ganhei o livro de Palahniuk. A maluquice subversiva de Tyler Durden e a devoção quase homoerótica do narrador são brilhantes.

Vidas Secas – Graciliano Ramos

Confesso: em tempos de prova de literatura no Ensino Médio, li o resumo ao invés do livro. Para corrigir os erros do passado, aventurei-me pelo regionalismo de Graciliano Ramos e apaixonei-me pelo que encontrei. A família animalizada que tenta sobreviver à seca e a cachorra Baleia que sonha com preás compõem um retrato sensível do sertão.

What Língua is Esta? – Sérgio Rodrigues

Neste livro, Sérgio Rodrigues do blog Toda Prosa reuniu textos publicados originalmente em jornais e sites abordando neologismos, estrangeirismos, lulismos e outras variações linguísticas presentes no dia-a-dia brasileiro.

Alucinações Musicais – Oliver Sacks

O neurologista Oliver Sacks é famoso por contar casos inusitados de pacientes, tendo algumas de suas histórias adaptadas para o cinema, como Tempo de Despertar e À Primeira Vista. Em Alucinações Musicais, Sacks reúne situações relacionadas à música, ora como terapêutica, ora prejudicial nos mais variados pacientes.

Ensaio Sobre a Cegueira – José Saramago

Apesar do filme homônimo ser bastante fiel à história de Saramago, sempre recomendo a leitura do livro pelo prazer de acompanhar o desenrolar da história dos cegos e a mulher do médico com a riqueza de detalhes sórdidos e escatológicos ao qual o mundo dos cegos foi transformado.

Ficaram de fora, mas nem tanto: A Revolução dos Bichos (George Orwell), São Bernardo (Graciliano Ramos) e No Sufoco (Chuck Palahniuk) foram ótimas leituras, mas para manter a lista com um livro de cada autor, ficaram à parte.

Anúncios

Uma resposta

  1. Encontrar o livro Clube da Luta foi uma tarefa prazerosa…

    Preencher expectativas de alguém é muito mais do que conquistar para si próprio.

    É um sentimento de compartilhar carinho, gentileza, atenção e experiências.

    E provocar um sorriso como forma de agradecimento ao ganhar o presente perfeito, não tem preço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: