Arquivos de Tag: Teatro

FIT Rio Preto 2010 – Dias 20 a 24

Dia 20:

Lamartine Babo – Centro de Pesquisa Teatral – CPT SESC Consolação

Um belo show musical em homenagem ao compositor Lamartine Babo… mas ficou devendo no quesito linguagem teatral, principalmente pela reputação que CPT e Antunes Filho trazem de longa data.

Abracadabara – Luiz Paëtow

Escuridão e lanterninhas disputam a atenção do vozeirão misterioso de Luiz Paëtow que discorre um texto fragmentado e tocante, levando a platéia num semi-isolamento de auto-análise. O último a sair, acenda a luz.

Dia 21:

Felizardo – Grupo Banda Mirim

Teatro infantil com números circences e muita música para adulto nenhum botar defeito. Destaque para a construção dos personagens Aurora e Felizardo que fojem do estereótipo criança boba e ingênua.

O Pato Selvagem – Cia. Les Commediens Tropicales

Uma aula de como transformar um texto do século 19 em uma peça ultra-moderna, com um visual enlouquecedor e rechear de pitadas de surrealismo.

Dia 22:

Comida Alemana – Cristian Plana

O cenário é quase claustrofóbico, o texto e atuações são densos e extravasam tensão; O pouco do diálogo travado pelo grupo chileno é em alemão. Impossível não sair da sessão com um aperto na alma.

Mel – BlackBerries Wilted Company

Não recomendo para quem não conhece ou simplesmente não gosta de butoh. Caso contrário, delicie-se com a excelência técnica e poética do trabalho de Gerrah Tenfuss.

Dia 23:

Anatomia Frozen – Cia. Razões Inversas

Compensando o cenário simples, a dupla de atores com vestimentas de salas cirúrgicas dissecam, em atuações impecáveis, pedofilia e crimes hediondos em diferentes perspectivas. Comovente e revoltante na medida certa.

Os Cegos – Fantasmagorias Tecnológicas – Cie UBU Theatre

Uma experiência única que deixa o público imerso numa escuridão, quase compartilhando da cegueira dos 12 personagens-cabeças que parecem flutuar no palco. Vale a pena xeretar os mistérios técnicos da Cie UBU Theatre após a apresentação.

Dia 24:

A princípio tentei acompanhar um teatro de rua, mas o começo não foi muito empolgante e corri para pegar outra sessão de Os Cegos para aproveitar a experiência num local de melhor visualização. Por fim, depois de toda a maratona, tirei orestante do  último dia do FIT Rio Preto para descansar.

FITinianas

  • Finalmente foram publicadas algumas fotos no site oficial do festival, mas infelizmente poucas são boas.
  • Em compensação, a querida Juliana Merengue disponibilizou algumas belas fotos pelo flickr.

FIT Rio Preto 2010 – Dias 15 a 19

Em meio às movimentações da 10ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto que estão percorrendo a cidade, faço uma pausa para um breve levantamento do que já acompanhei até agora e registrar algumas impressões.

Dia 15:

Todos os preparativos e anúncios para o FIT Rio Preto 2010 sempre deixaram as pistas de que esta edição seria uma reformulação do festival: mudanças na organização, desparecimento do logo oficial, morte anunciada do Não-Lugar. No entanto, no evento de abertura – que evitou qualquer pronunciamento de autoridades e afins – foi exibido um vídeo institucional relembrando os últimos 9 anos do FIT, ao invés de um video-clip explosivo listando as atrações da edição.

Em seguida, a abertura do FIT 2010 contou com a estréia do espetáculo Antes, do Armazém Companhia de Teatro para um público estimado em 5 mil pessoas que, nesta edição, contou com arquibancada extra no Anfiteatro Nelson Castro.

O texto denso, com direito à toda excelência do grupo Armazém, era um banquete para os fãs de teatro ao mesmo tempo que pode ter causado certo desconforto aos visitantes mais conservadores.

Dia 16:

DentroFora – In.Co.Mo.De-Te

Um casal praticamente imobilizado, cada um numa caixa, discute o passado e o drama de estar preso, assim como o medo de libertar-se. Excelente figurino e atuações reforçam o texto com divertidas frases de efeito.

Dia 17:

Marcha para Zenturo – Espanca! e Grupo XIX de Teatro

É sempre gratificante assistir a um espetáculo do Espanca! (já conferi o fantástico Amores Surdos e o razoável Congresso Internacional do Medo) e mais uma vez fiquei em estado de pura catarse. Os diálogos aparentemente desconexos entre os personagens limitados ao seu próprio tempo e a angústia de se sentir deslocado dominam o espetáculo.

OTRO (or) weknowitsallornothing – Coletivo Improviso

Divertido apunhado de contos, teatro, histórias, experiências antropológicas, dança, coreografias, vídeos e afins. Ajudou a amenizar o peso na alma provocado pelo Espanca!.

Dia 18:

A Hora em Que Não Sabiamos Nada Uns dos Outros – Cia. Elevador de Teatro Panorâmico

Em respeito à mensagem final da apresentação “não revele o que viu, permaneça na imagem”, evitarei detalhes. A escolha da Praça Cívica para o desenrolar dos 300 personagens-tipos, que vagam pelo centro de qualquer cidade, foi um grande acerto.

Las Julietas – Marianella Morena

O competente quarteto uruguaio apostou em piadas repetitivas e gags físicas que agradou grande parte do público, mas me deixou bastante entediado.

Ode ao Homem que se Ajoelha – Cia. New York City Players

Espetáculo que me causou uma intensa crise de riso por vergonha alheia. Mas o jornal The New York Times jura que é um musical “denso, divertido e estranhamente belo”.

Dia 19:

Os Mentirosos – Cia. Teatral Palhaços Noturnos

Provavelmente este foi o maior fiasco do festival. Não merece atenção.

FatzerBraz de Bertolt Brecht&Co – andcompany&Co.

Espetáculo em processo carregado de referência histórica, visual kitsch e construção anárquica. Muita gente não gostou, mas fiquei curioso pra ver o resultado final.

FITinianas

  • As arquibancadas montadas para espetáculos na Swift e ginásio do SESC tornaram um grande desafio sem as saudosas almofadas presentes em edições anteriores do FIT;
  • Vários fotógrafos foram contratados pelo evento para registrar os espetáculos (e em alguns casos atrapalhar o público) mas na galeria de fotos do site só foram disponibilizadas imagens de divulgação dos grupos.
  • A divulgação alardeou o grande número de apresentações gratuitas, o que não é novidade desta edição. A única mudança foi que para essas apresentações os ingressos são liberados com uma hora de antecedência na portaria, provocando grande irritação e desconforto no público.
  • Sempre admirei a estrutura do complexo Swift, principalmente os interiores dos prédios… Encontrar o prédio da chaminé, onde está instalado o ponto de encontro, com as paredes internas rebocadas e brancas foi um choque.

Confirmado espetáculo de abertura do FIT 2010

Após o breve suspense com a não inclusão do espetáculo de abertura na divulgação inicial da programação da 10ª edição do FIT Rio Preto, a organização veio com a boa notícia de que o Armazém Companhia de Teatro preparou o espetáculo Antes, ainda inédito, especialmente para a abertura do FIT.

Em 2005, o Armazém Companhia de Teatro trouxe para o FIT Rio Preto, no módulo ocupação, os espetáculos Pessoas Invisíveis, A Caminho de Casa e Alice Através do Espelho (este, sem dúvida, um dos espetáculos mais incríveis já apresentandos no Festival). Em 2009, o Armazém voltou a apresentar no FIT Rio Preto com o espetáculo Inveja dos Anjos.

Outras novidades do FIT Rio Preto 2010:

  • Entre os 38 espetáculos da programação, 23 serão gratuitos (além do espetáculo de abertura);
  • O sempre disputado Não-Lugar foi substituído por um bar/café no prédio da Swift, aberto das 11h às 02h, sem badalações;
  • Os ingressos serão vendidos a partir do dia 26/06/2010, às 11h, nas bilheterias do SESC e da Swift e pela internet. Os preços continuam os mesmos: R$10 (inteira), R$5 (estudantes/matriculados SESC), R$2,50 (comerciários/classe teatral).

Foi dada a largada para o FIT 2010

Foi divulgado, no site oficial, a programação da 10ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto com o tema Conquista da Singulariedade, que apresentará seis espetáculos internacionais e 32 nacionais entre os dias 15 e 24 de julho de 2010 em diferentes locais da cidade.

A abertura do FIT 2010 será no dia 15 de julho, às 20h, no Anfiteatro da Represa Municipal com atração ainda não divulgada.

Acompanhe as novidades sobre o evento:

www.festivalriopreto.com.br

FIT 2010 no twitter: @FITRioPreto2010

Teatro e Ciência

O Núcleo Arte e Ciência no Palco da Cooperativa Paulista de Teatro com 10 anos de existência,  somando 12 peças teatrais que abordamAuditorioCICC temas relacionados ao mundo científico, participou da 9ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto com dois espetáculos: Einstein e After Darwin, formando o Módulo Teatro e Ciência. Com apresentações no confortável auditório do Centro Integrado de Ciência e Cultura (também conhecido como Planetário), as encenações ganharam um aspecto intimísta pela proximidade entre o pequeno palco e público.

Einstein

EinsteinFIT
Foto: Calixto

O monólogo conduzido pelo ator Carlos Palma (criador do Arte e Ciência no Palco), devidamente caracterizado como o físico que virou sinônimo de genialidade, apresenta um simpático e divertido Einstein preparando-se para um jantar ao mesmo tempo em que narra episódios de sua vida. A inadaptação na escola, a conflituosa origem judaico-germânica, teorias e processos criativos são temas tratados de forma emocionada e bem humorada ao longo de 70 minutos.

After Darwin

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Dois atores e uma diretora de teatro ensaiam uma peça sobre a vida e obra do naturalista Charles Darwin considerando o contraponto conservador do capitão Robert Fitzroy, responsável pelo navio Beagle que levou o cientista pela viagem pelo mundo ao longo de 5 anos. Interesses tanto dos personagens históricos quanto dos artistas são contrastados e questionados ao mesmo tempo em que a teoria da evolução das espécies mostra-se ainda atual por evidenciar que o homem contemporâneo ainda tem que lutar pela sobrevivência.

Einstein foi apresentada nos dias 21 e 22 e After Darwin nos dias 24 e 25 de Julho de 2009, durante o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto.

Aquilo que não foi dito

SilencioDosAmantes01

Quatro dores. Quatro amores. Quatro máscaras. Muitas incertezas, dúvidas e feridas. O garoto de 10 anos desprezado pelo pai por ser anão. A esposa que acreditava viver um casamento feliz, mas se depara com o suicídio do marido. O filho marcado pela morte da mãe alcoólatra. A mãe que se apóia numa fantasia para não aceitar o desaparecimento do filho.

SilencioDosAmantes02Baseado no livro O Silêncio dos Amantes de Lya Luft, a peça homônima montada pela Companhia Escola 2 Bufões, do Rio de Janeiro, e dirigido por Moacyr Góes retrata a incomunicabilidade nas relações afetivas e suas consequências.

Dividido em quatro monólogos, o espetáculo permeia a devastação de cada narrador diante daquilo que nunca foi dito, gerando dúvidas e ressentimentos em almas marcadas pela perda.

SilencioDosAmantes03O Silêncio dos Amantes me veio como uma prazerosa surpresa, já que não tinha qualquer expectativa sobre a peça. O cenário limpo, contando apenas com uma grande caixa com várias portas, é dominado pela grandiosa atuação dos atores que vivenciam as dores de seus personagens, amparados por anjos ora atenciosos e tristes, ora brincalhões e bêbados.

Dificuldades de comunicação ocultadas por máscaras do dia-a-dia e o aterrador silêncio da solidão conduzem o público por uma jornada de dor e vazio, emocionando até mesmo os corações mais duros.

Fotos: Milena Aurea.

Espetáculo apresentado nos dias 17, 18 e 19 de Julho de 2009, durante o Festival Internacional de Teatro de Rio Preto.

Cadê o Não-Lugar?

Nos últimos dias notei uma considerável movimentação nos resultados de busca para este blog com uma dúvida central: onde será o Não-Lugar na edição 2009 do FIT?

O Não-Lugar, para quem não conhece, conhecido também como bar-cultural é o ponto de encontro noturno do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto que, num mesmo local, mistura shows de bandas, djs, performances, instalações e afins. Em cada edição do FIT o Nã0-Lugar é instalado em local diferente e, muitas vezes, a localização influência a programação e ânimo dos visitantes.

Desde a criação, o bar-cultural foi batizado, em outras edições, de lugarUMBIGO, NãoLugar, Bararena, Olho, LugarNenhum e já passou por Clube do Lago, atual sede do SeMAE, buffet Manoel Carlos, bar Latex (na minha opinião, a melhor versão) e várias vezes no prédio da Swift. Mas neste ano, com a reforma da Swift (local mais provável) e possíveis reclamações com outras edições (distância, espaço, vizinhança), a organização do Festival escolheu a Praça Jornalista Leonardo Gomes – mais conhecida como Praça Cívica – para a instalação do Não-Lugar.

PracaCivicaA Praça Cívica – localização do Centro Cultural Profº Daud Jorge Simão, que abriga a Biblioteca Municipal e a Secretaria de Cultura (leia-se: Quartel General do FIT) – é uma escolha interessante pela localização de fácil acesso. Provavelmente a decisão foi reforçada com o uso da Praça no ano passado para eventos como Bienal e Virada Cultural que contaram com uma grande estrutura de tendas e arquibancada ao redor do palco do lago artificial  (esvaziado desde então).

Foto: Nílson Veiga Filho (Panoramio)

Foto: Nílson Veiga Filho (Panorâmio)

Mas a escolha do local gera algumas dúvidas. A primeira é em relação a segurança do local que, principalmente à noite, é conhecida por assaltos freqüentes e circulação de drogas pesadas. Mesmo com a presença de seguranças do FIT no local, os arredores – que provavelmente servirão de estacionamento – estarão a mercê de flanelinhas oportunistas e outros tipinhos que já habitam a região. Outra dúvida é: Não-Lugar em tendas? Será?

Falta menos de um mês para o FIT chegar e por enquanto a única movimentação na Praça Cívica é alguns reparos no gramado dos canteiros pela EMURB.

De qualquer forma, a programação do Não-Lugar neste ano é bem diversificada. As performances escolhidas são Bolha Luminosa – Experimentos: Transapiens, Baby Dolls – Uma Exposição de bonecas, Sienta La Cabeza, Parafolcórico Metal Madeira e Manifestos. Haverá também shows de Karine Alexandrino, Os Polydoros, Desde que o Samba é Samba, Tetine, Sinhô Preto Velho, Big Band La Cartelera SKA y Sus Limones Domingueros e discotecagem com os DJ’s Bocka, Cláudio Gorayeb, Mabel, Fábio Lopes, Jefferson D’Mello.

FIT 2009 vem aí

carimbofit

Com o tema Instâncias da Subjetividade a 9ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rio Preto teve a programação divulgada ontem (17/06), relacionando as 138 apresentações que ocorrerão entre os dias 16 e 25 de julho de 2009 em São José do Rio Preto, além da extensão regional por Mirassol, Tanabi, Votuporanga, Fernandópolis, Jales e Santa Fé do Sul.

A abertura do FIT 2009 será no dia 16, às 21h, no Anfiteatro da Represa Municipal e contará com a apresentação do grupo francês Les Philebulistes com o espetáculo acrobático Arcane. O grupo francês fará a mesma apresentação no Ibilce (dia 18, às 16h) e na praça Dom José Marcondes (dia 20, 16h).

Outras atrações internacionais:

Avner the Eccentric (EUA)

Teatro da Ressurreição

Dias 22, 23, 24 e 25, às 19h.

Crônica de José Agarretado (Menudo Hijo de Puta) (Los corderes s.c., Espanha)

Teatro Municipal

Dias 17, 18, 19 e 20, às 21h30.

Neva (Teatro em el Blanco, Chile)

Teatro SESC

Dias 18, 19, 20 e 21, às 19h.

Sienta La Cabeza (Espanha)

Praça Rui Barbosa (dia 17, 15h), Pinheirinho (dia 19, 15h) e Não-Lugar (dia 18)

Tercer Cuerpo (Timbre4, Argentina)

Teatro SETA

Dias 22, 23, 24 e 25, às 19h.

Ausente na edição de 2008, o Módulo Ocupação volta neste ano com o grupo Companhia dos Atores, do Rio de Janeiro, habitando a Oficina Cultural Regional Fred Navarro com 4 espetáculos:

Talvez: dias 17 e 18, às 21h30.

Apropriação: dias 20 e 21, às 19h.

Esta Propriedade Está Condenada: dias 21 e 22, às 21h30.

Bate Man: dias 24 e 25, às 21h30.

Além do Módulo Ocupação, outras apresentações que provavelmente serão as primeiras a ter ingressos esgotados estão entre as peças nacionais convidadas:

Inveja dos Anjos(Armazém Companhia de Teatro)

Teatro Municipal – dias 23, 24, 25, às 21h30.

Caminho Para Meca (Signorini Produções Artísticas)

Teatro Colégio Ressurreição – dias 18, 19, 20, às 19h.

A Falecida Vapt Vupt (Grupo Macunaíma – CPT/SESC)

Arena SESC – dias 22, 23, 24 – 21h30.

Os ingressos serão vendidos a partir das 13h do dia 07 de Julho.
O restante da programação pode ser conferido em breve no site oficial do festival, ou pela grade de programação que já está circulando pela internet.

O Retorno ao Deserto

© Jorge Etecheber

Após anos exilada na Argélia, Mathilde retorna à França – trazendo na bagagem seus filhos Edouard e Fátima –, determinada a reaver sua parte da herança, em posse de seu irmão Adrien. Ao mesmo tempo em que reivindica seus bens, Mathilde aproveita para vingar-se dos maus-tratos recebidos outrora – partindo pelo preceito olho por olho, dente por dente – além de ressuscitar os incômodos fantasmas familiares, como a misteriosa morte de sua cunhada.

Apesar do enredo tenso, disposto a expor a ganância e a crueldade humana, Le Retour au Désert (O Retorno ao Deserto) aborda temas espinhosos com viés humorístico, porém sem cair no ridículo da parlapatice gratuita. A montagem baseada no texto de Bernard Marie Koltès, resultado de uma produção franco-brasileira – união entre Compagnie Dramatique Parnas e SESC São Paulo –, tem na direção Catherine Marnas, diretora francesa já habituada ao intercâmbio teatral, produzindo peças em países como México e China com artistas locais.

Continue lendo o restante do texto no Poppycorn!

Gente, quanta gente…

FIT 2008

FIT 2008

Imagine uma multidão.

Só isso? Não…

Exagere na quantidade de pessoas. Imagine muita gente concentrada num mesmo local.

Isso. Foi justamente nesse estado que encontrei o Anfiteatro da Represa (Anfiteatro Nelson Castro) ontem, na abertura da 8ª edição do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT para os íntimos), que começou pontualmente às 21h.

Diante do mar de cabeças, pessoas penduradas em árvores, muretas e bancos de praça, a única coisa visível foi o telão que exibiu o vídeo oficial do festival. Logo em seguida – poupando o público de longos discursos – começou a apresentação do grupo polonês Teatr Biuro Podrózy com o espetáculo Carmen Fúnebre.

Você viu?

Eu não… Faltaram-me alguns metros de altura.

Na sequência, atravesse a rua – olhe para os dois lados – e rume ao Não-Lugar.

Após duas edições longe da antiga fábrica Swift, o ‘bar cultural’ Não-Lugar volta ao prédio histórico, dessa vez no gigantesco Graneleiro, onde a divertida decoração kitsch cedeu lugar à iluminação difusa e aos telões do Hipertextualidades Digitais 0.1.

Bem depois da 00h30 começou a apresentação do NOPORN, que até às 2h só tinha cantado uma música própria. Frustração total para quem queria ouvir Ctrl+Alt+Del ou Baile de Peruas (acho que só eu mesmo).

Simultaneamente à apresentação do NOPORN, fez sucesso a instalação Mutance, que tem como lema implícito “solte a drag-queen que existe em você… dentro do quadrado”.

Como eu tinha um encontro marcado com o despertador às 6h, desisti de ouvir a música e fui embora!

Site oficial do FIT: www.festivalriopreto.com.br